Apresentação


O VI ENADIR tem como metas a geração de novos conhecimentos, a promoção e a elevação da qualidade da produção científica, o incentivo e o apoio ao encontro de pesquisadores(as) das ciências sociais, do direito e de áreas afins, advindos(as) das mais diferentes instituições de nível superior do país.
Essa proposta recebeu os apoios da CAPES e da USP quando da realização do I ENADIR (2009)II ENADIR (2011), III ENADIR (2013), IV ENADIR (2015) e V ENADIR (2017). Este último também foi financiado pelo CNPq. Pretende-se que a 6ª edição do Encontro siga reunindo pesquisadores(as) tanto em mesas redondas e coordenação de GTs quanto apresentando trabalhos recentemente concluídos ou bem amadurecidos.
Um pressuposto que norteou as cinco primeiras edições e segue válido para a 6ª é que, em função da relevância das produções teóricas e empíricas já existentes, a área deve receber apoio para prosseguir se consolidando, o que justifica um encontro nacional específico e periódico (bianual).

CONTRIBUIÇÃO PARA A PÓS-GRADUAÇÃO
O VI ENADIR, no que se refere diretamente aos programas de pós-graduação, tem por principal finalidade contribuir para uma articulação mais permanente e sistemática entre antropólogos(as) do direito no Brasil, bem como entre esses(as) e seus/suas colaboradores(as) estrangeiros(as).
O VI ENADIR, assim como os anteriores, também pretende incentivar que pós-graduandos(as) cursem disciplinas fora de seus programas de origem e que tal intercâmbio, além de repercussões pontuais já existentes, produza repercussões duradouras, tornando frequentes as colaborações em bancas e a formulação de projetos conjuntos de pesquisa.

FINALIDADES DO EVENTO
A finalidade maior do VI ENADIR é produzir resultados qualitativamente significativos no interior da antropologia do direito, daí a previsão de um minicurso, conferências e mesas não simultâneos para que todos(as) possam acompanhá-los e neles se encontrar.
Serão concomitantes apenas as sessões de GTs nas duas últimas manhãs. Nelas haverá apresentações de trabalhos orais com tempos bastante razoáveis para exposição e debates, o que não tem sido a regra nos grandes encontros acadêmicos. Pretende-se repetir a transmissão online do minicurso e das mesas, pois isso ampliou bastante o alcance dos encontros anteriores.
Todo o material do VI ENADIR será disponibilizado online para os(as) participantes e demais interessados(as), inclusive os resumos das falas e os papers completos selecionados para os GTs.
                                                 
COMISSÃO ORGANIZADORA
Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer
Bruna Soares Angotti Batista de Andrade
Carmen Silvia Fullin
Juliana Tonche
Tatiana Santos Perrone

COMITÊ CIENTÍFICO
Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer
Bruna Soares Angotti Batista de Andrade
Camila Silva Nicacio
Carmen Silvia Fullin
Juliana Tonche
Maria Luisa Scaramella
Renata Medeiros Paoliello

EQUIPE SÍNTESE
Alexandre Fantini
Ana Maria P. Machado
Beatriz Faria Costa
Camilo Flamarion
                                              
HISTÓRICO RESUMIDO DOS ENCONTROS ANTERIORES
O I ENADIR (20 e 21/08/2009, FFLCH-USP), financiado pela CAPES e por três Pró-Reitorias da USP, reuniu, pela primeira vez em um evento específico da antropologia do direito, pesquisadores (as) de várias universidades do país. Em média, a sala de 80 lugares reservada às mesas contou com mais de 100 pessoas e nos 6 GTs foram expostos 90 trabalhos. Todas as mesas tiveram transmissão online.

II ENADIR (de 31/08 a 02/09/2011, FFLCH-USP) também obteve financiamento da CAPES e de quatro Pró-Reitorias da USP. Estiveram presentes cerca de 200 pessoas, sendo que 113 receberam certificado por terem participado de ao menos 4 das 7 atividades programadas. Praticamente todo o Encontro foi transmitido ao vivo pelo IPTV-USP e foram 2.318 os acessos ao longo de três dias. Houve dois conferencistas internacionais e 11 GTs com 110 trabalhos inscritos.

III ENADIR (de 28 a 30 de agosto de 2013, FFLCH, USP) seguiu obtendo financiamento da CAPES e de duas Pró-Reitorias da USP. Dos 243 formulários preenchidos online 117 o foram por proponentes de trabalhos para GTs e 126 por interessados(as) em acompanhar o evento. Nos dias do Encontro foram aproximadamente 95 os presentes em cada atividade. Praticamente todo o evento foi novamente transmitido ao vivo pelo IPTV-USP, com aproximadamente 200 acessos/dia. Houve dois conferencistas internacionais e 35 convidados(as) para palestrar em mesas, coordená-las e coordenar GTs. Realizaram-se 8 GTs nos quais 76 trabalhos foram apresentados.

O IV ENADIR (de 25 a 28 de agosto de 2015, FFLCH, USP), novamente contou com financiamento da CAPES e da USP (Departamento de Antropologia, Núcleo de Estudos da Violência). O IBCCRIM (Instituto Brasileiro de Ciências Criminais) apoiou a realização do minicurso seguido presencialmente por 74 inscritos(as). Ao longo dos 4 dias, houve 1.434 visualizações das atividades transmitidas online pelo IPTV-USP. Foram registradas 428 inscrições que resultaram em 280 participantes in loco. Em média, houve 90 presentes às conferências e mesas e 146 trabalhos distribuídos entre os 16 GTs.

O V ENADIR (de 28 a 31 de agosto de 2017, FFLCH, USP), além de financiamentos da CAPES e da USP (Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social – PPGAS), recebeu verba do CNPq. O Núcleo de Estudos da Violência (NEV-USP) apoiou a realização do minicurso que contou com 97 inscritos(as). Circularam pelos 4 dias do Encontro 255 pessoas, sendo que 155 apresentaram trabalhos nos 12 GTs. Houve, em média, 90 acessos online a cada conferência e mesa redonda. As sessões dos GTs foram abertas ao público.

PRINCIPAIS PUBLICAÇÕES COLETIVAS RESULTANTES DOS ENCONTROS

I ENADIR:
Revista de Antropologia, USP, v. 53, n. 2, 2010
“Dossiê Antropologia do Direito”

III ENADIR:
Revista Cadernos de Campo, USP, v.22, n.22, 2013
“Caderno Especial”

IV ENADIR:
Confluências. Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito, v. 17, n.3, 2015
“Dossiê”

Revista Euroamericana de Antropología, n.2, Junio, 2016
“Dosier Antropología del Derecho en Brasil”

V ENADIR
REED – Revista de Estudos Empíricos em Direito, v.5, n. 3, 2018.
“Suplemento Especial – V Encontro Nacional de Antropologia do Direito”

Nenhum comentário:

Postar um comentário